Arquivos do Blog

Abuso: vídeo mostra PM agredindo torcedora do Coritiba

Uma das piores coisas do mundo contemporâneo é o maniqueísmo que define os rumos da opinião pública. Ele forja expressões como “bandido bom é bandido morto”, “pobre é ignorante” e “torcida organizada é antro de vagabundo”, expressões que só fariam sentido se a realidade em nosso país (e por que não em nosso mundo?) fosse simplória.

Bem, escrevo isso para comentar o vídeo absurdo que mostra policiais militares agredindo uma menina de 18 anos antes da partida entre Vasco da Gama e Curitiba. Ela participava de —pasmem—uma manifestação batizada de “Caminhada pela paz” em homenagem a torcedores mortos recentemente.Parte da agressão foi filmada por uma torcedora e postada no Youtube.

A denuncia ganhou eco no G1 em reportagem de Fernando Castro. No vídeo é possível ver um policial batendo a cabeça da jovem contra um portão de ferro. Segundo relato da fotógrafa Ana Paula Ribeiro ao G1, os policiais chutavam pessoas que andavam devagar e ficaram incomodados com a presença de câmeras. A torcedora agredida pretende levar o caso à justiça. Vejam o vídeo abaixo e tirem suas próprias conclusões:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qxpElDWMOEY#t=0s

A PM resolveu divulgar uma nota oficial nesta segunda (19) sobre o ocorrido. Leia na integra:


O vídeo já chegou ao conhecimento do Comando do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o qual está determinou a abertura de um procedimento administrativo para apurar o que realmente houve. E caso fique comprovado que os policiais agiram irregularmente, eles serão punidos conforme prevê a Lei.

O Comando do BOPE também esclarece que não compactua com nenhum tipo de atitude que vá de encontro a todo e qualquer direito dos cidadãos, mas por “estarmos em um estado democrático de direito, e respeitando os dispositivos constitucionais, os policiais têm direito a ampla defesa e ao contraditório”.


O Comando do BOPE reitera que tem sido enfático em relação aos direitos dos cidadãos, mas somente será sabido o que realmente aconteceu ao término do procedimento instaurado.
Prática comum

Devo ressaltar que esse tipo de postura de agentes do poder público (pagos para proteger e não agredir ou ameaçar está longe de ser algo raro). Quem frequenta estádios pelo Brasil já deve ter percebido que o torcedor organizado ou não está longe de receber tratamento vip.  Não estou dizendo que membros de torcidas organizadas são anjinhos ou que policiais militares são demônios… Apenas reitero que a situação é mais complexa do que parece. Fica o convite para reflexão.

Yahoo

%d blogueiros gostam disto: