Arquivos do Blog

SBT e Sony fecham acordo inédito para TV Digital

Imagem

O SBT resolveu abraçar o modelo de TV via banda larga, e esse é um marco no mercado brasileiro de televisão. Um canal de vídeos, em que o espectador escolhe o que quer assistir, na hora em que quer assistir, estreou nos televisores, leitores de Blu-ray e home theathers da Sony. O conteúdo vem via banda larga.

Com o acordo com a Sony, o SBT tornou-se a primeira emissora de TV aberta brasileira a adotar o modelo de broadband TV. “Estamos na fase final de negociação com uma outra emissora”, disse Luciano Bottura, gerente de produto de TV da Sony Brasil. “Devemos fechar até o primeiro semestre.”

O vídeo via internet direto no televisor é uma tendência mundial. Para validá-la no Brasil, faltava a adesão das emissoras de TV aberta. O acordo do SBT com a Sony não prevê exclusividade, e levou um ano para ser negociado e implementado.

“As outras emissoras é que estão atrasadas”, disse Renata Abravanel, diretora de projetos de novas mídias e do site do SBT, sobre o pioneirismo.

Antes do acordo com o SBT, a Sony tinha parcerias com empresas de internet, como UOL e iG, e companhias internacionais, como a Sony Pictures, do mesmo grupo.

O canal do SBT estreia com mais de 500 vídeos, que incluem programas completos, capítulos de novela e entrevistas.

Conteúdo
“O SBT não é só uma emissora”, disse Renata Abravanel, filha de Silvio Santos. “Também é uma produtora de conteúdo.” Segundo ela, o espectador está mudando. “Ele quer assistir o que quiser, onde quiser e no dispositivo que ele tiver. Temos de estar onde o espectador está.”

O acordo com o SBT não envolve pagamento num primeiro momento, mas prevê compartilhamento de receitas publicitárias. “A princípio, o modelo é o mesmo da TV aberta, baseado em publicidade”, disse a diretora do SBT. “Mas vamos conseguir estratificar o público, para oferecer anúncios segmentados.”

A Sony vai enviar ao SBT informações detalhadas sobre a audiência, quantas pessoas assistem a um vídeo e em que horário. Para Renata Abravanel, o vídeo via internet não retira público da TV aberta, pois os espectadores terão mais oportunidades de ver ou de rever os programas da emissora.

Mudança
A oferta de serviços interativos no televisor se tornou possível com a digitalização. No ano passado, as vendas de TVs de LCD e plasma, que são digitais, ultrapassaram às de tubos no País. Foram 7,2 milhões de aparelhos de telas finas e 4,7 milhões de TVs de tubo.

A TV por banda larga tem se consolidado como o modelo vencedor de televisão interativa no mercado mundial.

Além da Sony, grandes fabricantes, como a Samsung e a LG, oferecem aparelhos com esse recurso. “Todos os nossos modelos têm internet vídeo”, destacou Bottura.

O modelo mais barato da Sony, com tela de 32 polegadas, tem preço de referência de R$ 1.599. Ou seja, não se trata de um produto exclusivo de famílias de alto poder aquisitivo. “O consumidor de classe C já está assinando banda larga”, disse o gerente da Sony.

Esse crescimento do vídeo via internet direto no televisor pode tirar força do Ginga, software de interatividade para a TV aberta, que, até agora, não decolou. Bottura e Renata Abravanel, no entanto, não veem assim.

“O Ginga e o vídeo via banda larga se complementam”, disse o diretor da Sony. “O SBT tem um compromisso com o Ginga”, afirmou Renata Abravanel. Todos os modelos da Sony também vêm com o Ginga.

Fórum Wen

Novo programa da Record será apresentado por um médico

O cirurgião Mehmet Oz, apresentador do The Dr. Oz Show, que terá versão na Record

 

A Record fechou contrato com a 2WayTraffic, empresa do grupo Sony, e vai exibir uma versão brasileira do The Dr. Oz Show, programa sobre qualidade de vida apresentado por um médico.

O contrato com a 2WayTraffic, que também detém o formato de A Fazenda, só foi fechado em janeiro, mas Elisabetta Zenatti, diretora da Floresta, produtora da Sony, trabalha no projeto desde junho do ano passado, acompanhada por uma equipe da Record.

Segundo Elisabetta, foram testados mais de 150 médicos de todo o país, e dois gravaram pilotos (programas-teste) nesta semana. A direção da Record escolherá um deles.

O programa

Exibido no Brasil pelo canal pago Fox Life, o The Dr. Oz Show nasceu como quadro do cirurgião Mehmet Oz no talk-show de Oprah Winfrey.

A atração usa games, reality shows e dramatizações para informar sobre corpo humano, saúde, beleza, bem-estar e sexo.

Há quadros em que se busca a emoção, contando histórias de vida. Em outro, o apresentador se passa por um policial, que finge, por exemplo, investigar a vida de uma pessoa que se alimenta inadequadamente.

“É um programa de entretenimento que tem como pano de fundo a saúde”, define Elisabetta.

Deverá ser bem diferente, portanto, do Bem-Estar, também sobre saúde, que a Globo estreia no próximo dia 21. O programa da Globo (confira aqui) será apresentado por dois jornalistas e produzido por jornalistas.

A parceria

Record e Sony, por enquanto, acertaram a produção de apenas uma temporada da atração, ou seja, dois meses de programas diários (segunda a sexta), com uma hora cada um.

O programa será produzido pela Floresta, com supervisão artística da Record. Nome, horário e data de estreia ainda não foram definidos.

“Fechamos contrato com a 2WayTraffic para uma temporada, mas ainda não decidimos qual será o horário nem quando nem como”, diz Mafran Dutra, presidente do comitê artístico da Record.

Daniel Castro – R7

%d blogueiros gostam disto: