Arquivos do Blog

Jovem indiana vítima de estupro coletivo morre em hospital de Cingapura

Bangcoc, 29 dez (EFE).- A universitária indiana, cujo estupro coletivo gerou uma onda de protestos na Índia, morreu na madrugada deste sábado em um hospital de Cingapura, onde estava internada, informaram fontes diplomática, que ressaltaram que o corpo da jovem será levado ainda hoje ao seu país.

‘A paciente morreu em paz às 4h45 (locais) do dia 29 de dezembro de 2012′, informou o centro hospitalar Mount Elizabeth em um comunicado, o qual mencionava que a família da universitária ‘esteve o tempo todo ao seu lado’.

Créditos: G1

Anúncios

Salve Jorge’: cenas do estupro de Jéssica teriam sido cortadas, diz jornal

FOTO – DIVULGAÇÃO – TV GLOBO

Jéssica (Carolina Dieckmann) foi estuprada por Russo (Adriano Garib) na última segunda-feira 05/11/12, em Salve Jorge- novela das nove da Globo .  A  aguardada  cena só mostrou uma insinuação do crime. Segundo informações publicadas na  coluna Zapping, do jornal Agora São Paulo, as cenas mais fortes da sequência foram cortadas, devido ao horário em que seriam exibidas.

Depois de desmentir, Carolina Dieckmann assume ter utilizado dublê em cenas de ‘Salve Jorge’

Depois de desmentir, Carolina Dieckmann assume ter utilizado dublê em cenas de ‘Salve Jorge’
A atriz Carolina Dieckmann fez questão de desmentir os boatos sobre o uso de dublês nas cenas de estupro vivenciadas por sua personagem Jéssica, na novela “Salve Jorge”. A artista chegou a postar mensagem em seu perfil no Twitter, enfatizando que não teve dublê. “Não sei quem inventou isso mas… Eu não tive dublê”, declarou.Parece, no entanto, que Dieckmann resolveu dar para trás e assumir que teve ajuda em algumas partes da cena. “Na cena do espancamento, a direção achou necessário usar dublê em alguns takes, e eu respeito muito o trabalho dos dublês. Na cena do estupro, o foco é a emoção, então não foi necessário usar dublê… simples assim”, disse a atriz também no microblog. Será que foi só nesta cena mesmo?

Polícia recebe nova acusação de estupro contra Daniel

O caso Daniel não tem fim!

O caso Daniel parece não ter fim e, muito menos, uma resposta! A Polícia Civil do Rio de Janeiro recebeu, na última quarta-feira (15), o relato de mais uma mulher que acusa o ex-participante de estupro.

Fique por dentro do que aconteceu:
Daniel é acusado de abuso sexual

De acordo com Lauro Jardim, colunista da revista Veja, a moça é brasileira e mora na Itália. Seria ela Tatiane Eyng, a modelo entrevistada pela Record no mês passado, ou uma terceira mulher?

Daniel foi expulso do reality show da Globo após ser suspeito de abuso sexual contra Monique enquanto ela dormia.

Yahoo

Ex de Daniel desmente acusação de estupro

Após ser acusado de mais um estupro, Daniel agora recebe o apoio da ex-namorada. Mônica Silva morava em Milão com o ex-brother e Tatiane Eyng, em 2007, e garante que a modelo está querendo aparecer.

 “Gostava dela, mas é uma pessoa que sempre disse que queria ser famosa, virar apresentadora. Acho que essa é a explicação para toda essa besteira. Tenho 100% de certeza que isso nunca aconteceu! Ela está inventando para se aproveitar da situação e aparecer. Quer se promover em cima disso. É lamentável”, criticou.

Em entrevista ao site Ego, Mônica revelou que os três nunca ficavam juntos no apartamento, pois Tatiane trabalhava dia e noite. “Ela voltava às 5 da manhã, não sei o que fazia. Não gosto de julgar e não quero fazer o mesmo que ela está fazendo”, finalizou.

Yahoo

Mãe de Daniel e Boninho veem racismo nas acusações; #voltaDaniel chega a primeiro lugar no Twitter

Manifestações incentivaram investigação (Reprodução)

 

Após a expulsão de Daniel do BBB12 em função do inquérito aberto pela Polícia Civil carioca para apurar um caso de estupro, a mãe do modelo, Aparecida Echaniz, afirmou em entrevista ao “Uol” nesta terça, 17, que o filho está sendo vítima de racismo e que a Globo lhe deve uma satisfação, pois fora informada que tanto ele quanto Monique sairiam do programa.

“Em outros BBBs houve edredom e nunca ninguém foi para a rua. O próprio Boninho achou racismo, mas pressionado pelo público deu um basta”, disse Aparecida. Ela também disse que a emissora não fez mais que a obrigação em oferecer um advogado a Daniel e que seu filho “não é um pedaço de lixo e não pode ser jogado fora assim”. O próprio diretor comentou em entrevista à “Folha”, logo após o incidente, que o que havia acontecido entre os dois foi consensual, nas palavras da própria Monique, e que as acusações tinham tom preconceituoso por Daniel ser negro.

Aparecida falou que Monique deporia na manhã desta terça, 17. Daniel está num hotel no Rio sem contato com familiares. “O que todo mundo me passou é que iriam sair os dois. Estou muito revoltada, indignada. Conheço meu filho e ele jamais faria isso. E pelo que li a respeito, essa senhorita é chave de cadeia. Tenho certeza que a Globo me deve uma satisfação. Porque o público está bem dividido. Não é todo mundo que acha o Daniel um estuprador”, completou.

Na mesma rede social em que espectadores pressionaram para que a Globo expulsasse Daniel do reality show apareceram mensagens de apoio, pois ele teria sido eliminado sem chance de defesa. O assunto chegou ao primeiro lugar entre os mais comentados do Twitter, com a hashtag #voltaDaniel.

Processos – A mãe do modelo não sabe se acionará a justiça. “Não vou tomar nenhuma decisão agora, vou esperar a cabeça acalmar, descansar, porque não durmo desde ontem. Depois é preciso pensar no que fazer, porque nada nesse mundo é de graça”, disse ao site da revista Veja nesta terça, 17. Ela também já disse ao ‘Uol’ que Monique “não é virgem, nem pré-adolescente. A mãe dela é que foi infeliz ao usar a palavra estupro. Acusar alguém de estupro é criminoso”, afirmou.

A mãe de Monique, Claudia Amin, disse ao site da revista “Caras” que não pretende processar Daniel e que está sendo muito exposta. “Nunca falei que ia processar ele. O que falei foi que fiquei indignada. Quem está no programa é a minha filha e não eu. Qualquer coisa que a gente fale pode ser prejudicial para ela e para ele”, afirmou. “É muito difícil como mãe ver isso. Agora estão falando de racismo. A minha filha não é racista”, falou.

Monique saiu da casa por volta das 9h40 da manhã desta terça, 17, e voltou às 12h15, dizendo que havia sido levada ao dentista pela produção. Por medo ou ignorância, os brothers evitam comentar os fatos envolvendo o casal alvo da polêmica.

Daniel não volta ao BBB

O delegado Antônio Ricardo Nunes, da 32a. DP (Taquara), esteve hoje na Central Globo de Produção para ouvir a estudante Monique Amim e o modelo Daniel Echaniz, que, na madrugada de domingo, protagonizaram cenas de intimidade no BBB12 e geraram suspeita de abuso sexual.
Em depoimento oficial à Polícia, no entanto, Monique afirmou que estava consciente e agiu de forma consentida.

Assim que surgiu a suspeita, a TV Globo iniciou a apuração dos fatos, que num primeiro momento apontavam para uma cena de carícias semelhante à de outras edições. Após avaliação, a emissora decidiu pelo afastamento de Daniel, até para que ele pudesse prestar esclarecimentos formais à polícia.

De qualquer forma, a produção do programa avalia que o comportamento do participante foi inadequado, o que impede seu retorno à casa.

BBBoFICIAL

Monique e Daniel negam suposto estupro

De acordo com o delegado que investiga o caso, a sister se recusou a fazer o exame de corpo de delito

Rio – Os participantes do Big Brother Brasil 12 Daniel e Monique prestaram depoimento ao delegado titular da 32ª DP (Taquara), Antônio Ricardo, e, de acordo com ele, negaram que tenha ocorrido o estupro no reality show. O delegado afirmou ter ouvido o casal dentro da casa do BBB nesta terça-feira. A jovem envolvida na polêmica, no entanto, se recusou a fazer o exame de corpo de delito. Ainda segundo Antônio Ricardo, o edredon e as roupas íntimas de ambos serão apreendidos e depois encaminhados para a perícia.

“Eles confirmaram que ficaram embaixo dos cobertores com o consentimento de ambos. Eles se tocaram, mas negaram que houve relação sexual”, contou o delegado, que acrescentou: “Mesmo após ingerir bebida alcoólica, ela tinha condições de dizer não”.

Daniel prestou depoimento na condição de testemunha, já que nenhuma queixa formal foi prestada contra o modelo. Na entanto, Antônio Ricardo explicou que o inquérito será instaurado nesta terça como estupro de vulnerável. Ele ainda pretende confrontar a versão do casal com as imagens da TV Globo e os dois podem ser chamados para prestar depoimento novamente. Os outros participantes do BBB também podem ser chamados para dar esclarecimentos.

A Polícia Civil investiga a suspeita de estupro de vulnerável contra a estudante, que estaria bêbada e inconsciente durante a relação com o rapaz, após uma festa na casa. O delegado já deixou o Projac e concederá entrevista na 32ª DP.

Delegado esteve no Projac e ouviu os BBBs | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

A mãe de Daniel, expulso nesta segunda do BBB 12, Aparecida Echaniz, defendeu, nesta terça-feira, que Monique também deixe o reality show. “Ela é uma mulher madura. Nao foi a primeira vez, nem a décima. Que fique bem claro que não quero prejudicar ninguém em defesa do meu filho, mas acho que se os dois infringiram o regulamento, os dois deveriam ser expulsos”, disse ao programa Balanço Geral.

Segundo Aparecida, ela ainda não conseguiu falar com o filho. “Ninguém me procurou, tenho acompanhado tudo pela TV. Estou sem entender, perplexa”, contou.

http://www.youtube.com/watch?v=zmGnvMBkNWI&feature=player_embedded#t=0s

Daniel usou seu Twitter oficial (@Daniel_Echaniz) para falar com o público. Sem dar sua versão da história, o modelo apenas disse que irá atualizar seu microblog e se aconteceu alguma coisa, o problema é dele. “A partir e Agora Sou Eu Mesmo O Daniel Que Ira Atualiza Minha Pagina No Twitter!”, escreveu, para depois completar: “Galera Se Aconteceu Alguma Isso é Problema Meu e De Mais Ninguem ASSUNTO ENCERRADO”.

 

Na tarde desta segunda, Boninho, diretor-geral do programa, interrogou Monique no confessionário, e policiais foram recebidos no Projac pelo departamento jurídico da emissora. A Central Globo de Comunicação divulgou uma nota justificando a expulsão de Daniel “devido a um grave comportamento inadequado” e “após rigorosa avaliação da Globo”.

Mais cedo, Boninho chegou a afirmar que Monique havia dito que consentiu as carícias de Daniel. O diretor chegou a dizer ao site da Folha de São Paulo que Daniel estava sendo vítima de racismo, e que não via motivos para punir o “brother”. 

 

Polícia Civil mandou uma equipe ao Projac para colher depoimentos | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

Fontes ligadas ao programa disseram que nos bastidores há consenso de que o ato sexual foi consumado na casa e durou cerca de 25 minutos, dos quais apenas sete foram exibidos, mostrando Monique imóvel e Daniel em movimentação intensa sob o edredom. O vídeo foi retirado do YouTube pela Rede Globo. Monique desapareceu das câmeras e o sistema de multicâmeras do ‘pay per view’ foi desativado.

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Iriny Lopes, enviou, no fim da tarde desta segunda, ofício ao Ministério Público Estadual do Rio pedindo a tomada de “providências cabíveis”. Segundo o procurador-geral, Cláudio Lopes, o documento será encaminhado nesta terça à promotora Christiane Monnerat, que vai acompanhar as investigações do inquérito aberto pelo delegado Antônio Ricardo.

Delegado pode pedir apreensão de roupas íntimas e do edredom

O centro da investigação da polícia é apurar se Monique autorizou as carícias de Daniel. Se for comprovado, no entanto, que ela não tinha consciência do que ocorria, em tese, de acordo com o procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes, pode ficar caracterizado o crime de estupro de vulnerável, como prevê o artigo 217 A, parágrafo primeiro. A pena varia de seis a dez anos de prisão.

“Para isso, será necessário comprovar que a vítima não tinha condições de oferecer resistência alguma”, explicou Lopes. Nesse caso, para denunciar Daniel à Justiça, o Ministério Público não precisaria da representação de Monique. “No estupro de vulnerável, o estado age independente da vontade da vítima. É lógico que isso dificulta a investigação, mas não impede que as provas sejam colhidas”, afirmou Lopes.

http://www.youtube.com/watch?v=99P21F2uRDc&feature=player_embedded#t=0s

 

Monique fala que não se lembra de nada e que pediu para Daniel parar

A BBB Monique foi chamada ao confessionário pelo diretor do programa, Boninho, para esclarecer o que aconteceu embaixo do edredom com Daniel. O áudio da conversa, com os detalhes do que Monique se lembra, vazou na Internet.

“Olha, só se ele tivesse a capacidade de ter feito sexo comigo dormindo. Porque eu não me lembro de nada de sexo. Lembro de mão naquilo, aquilo na mão, agora sexo, não. Só se ele for muito mau-caráter de fazer comigo dormindo. Eu me lembro apenas do Rafa deitando e eu dormi”, diz a ‘sister’ num dos trechos da conversa.

Em outra parte, Monique afirma que não aceitou ir além das carícias: “E realmente é só isso que eu lembro, que a gente passou a mão um no outro. Eu fiquei com tesão. Eu lembro que ainda dei um pulo na cama, pro outro lado, contrário do dele, e falei: ‘Para. Chega, chega’”.

Perguntada sobre o short preto que vestia e que não usava quando acordou, Monique foi imprecisa: “Acordei sem o shortinho. Não, eu deitei sem o shortinho, acho. Acho que eu tirei o shortinho e acordei sem o shortinho. Mas assim, eu só me lembro que eu estava me arretando com ele, a gente passou a mão, coisa e tal, e o Rafa chegou. Na minha cabeça, não me lembro do momento nós três na cama. Eu capotei”.

O Dia

%d blogueiros gostam disto: