Arquivos do Blog

Dadá comenta sobre entrevista de Edir Macedo para revista Isto É Gente, confira o vídeo!

Bispo Edir Macedo abre o Jogo

Por: Thiago Di Lima

(@JornalistaRebel (@ThiagoFlawless)

(informações Revista ISTOÉ)

Em entrevista exclusiva, Edir Macedo conta que não tem residência fixa, diz que a Igreja Universal ainda é perseguida pelos católicos, relata o último encontro com a presidenta Dilma Rousseff e fala sobre o futuro da Igreja e da Rede Record.

Edir Macedo estava no apartamento de aproximadamente 200 metros quadrados no último andar do prédio da Igreja Universal do Reino de Deus, na avenida João Dias, em São Paulo, quando soube que o lançamento de sua autobiografia “Nada a Perder”, na Argentina, fora um sucesso. Na sequência, Macedo foi informado de que o livro também será traduzido para o francês e imediatamente começou a procurar data na agenda para promover um lançamento em Paris no início do próximo ano. Foi no embalo dessas notícias que, no domingo 18, sentado no sofá da sala do imóvel que costuma ocupar quando está em São Paulo, Edir Macedo concedeu entrevista exclusiva à ISTOÉ. Nos últimos sete anos, é a primeira entrevista do bispo a um meio de comunicação que não pertence a ele. Aos 67 anos, o líder da IURD e dono da Rede Record entende que ainda é tratado como o chefe de uma seita pela cúpula católica. Ele relata o último encontro que teve com a presidenta Dilma Rousseff, afirma que milagres continuam a ocorrer em seus templos e se mostra emocionado quando faz referência às pessoas que conseguem encontrar na Universal um novo caminho para suas vidas.

ISTOÉ – Como é sua rotina? Por que o sr. não mora no Brasil?

Edir Macedo – Não tenho uma rotina definida. Dedico cem por cento do meu tempo às questões espirituais da Igreja Universal do Reino de Deus em todo o mundo. Não exerço uma profissão ou um cargo executivo, exerço uma missão de fé que tem como único objetivo pregar o Evangelho. Isso exige certos sacrifícios, como, por exemplo, não ter uma residência fixa. Viajo os continentes, o máximo que posso, para ensinar o que temos recebido de Deus aos pastores e ao nosso povo. Em quase todos os países, moro em apartamentos construídos no prédio da Igreja. Minha vida se resume ao altar e ao convívio com minha esposa, Ester.

ISTOÉ – O sr. é um homem rico?

Macedo – Vivo da ajuda de custo da Igreja e dos direitos autorais. A Igreja Universal não é patrocinada pelo governo ou por qualquer iniciativa privada. Temos despesas para pagar. Aluguéis, reformas e construções de centenas de templos, contas milionárias de luz e água, ajuda de custo de milhares de pastores, mais de 5.800 funcionários registrados etc., etc… Quem paga tudo isso? O dinheiro não cai do céu. É Deus quem dá o sustento para a Sua Igreja abençoando a vida das pessoas. Quanto mais elas recebem, mais elas nos ajudam a investir no Evangelho. E mais: nunca recebi nenhuma remuneração da Record, nem como pró-labore ou como ganho de lucros, conforme demonstrado nos balanços da emissora, registrados na Junta Comercial. Todo o lucro é reinvestido na própria Record. Ela está aí para crescer e conquistar um espaço ainda maior.

ISTOÉ – Além da Record, o sr. possui empresas em outros ramos?

Macedo – Tenho em meu nome a Record, mas meu prazer mesmo é pregar o Evangelho.

ISTOÉ – O bispo Edir Macedo consegue se distanciar do empresário das comunicações Edir Macedo? 

Macedo – Deixo os negócios sob responsabilidade dos profissionais contratados para tocarem o dia a dia da Record, por isso não me considero um empresário. Não tenho riqueza maior na vida do que a minha fé. O nome do meu livro não é uma mera expressão literária. Não tenho nada a perder. E isso é um recado claro e direto a quem interessar.

ISTOÉ – Logo no início do livro o sr. diz que, no momento de sua prisão, políticos de prestígio, empresários, juízes e desembargadores tomavam decisões sob a influência do alto comando católico. Quais eram os políticos e juízes que agiam sob influência da cúpula católica?

Macedo – A Igreja Universal foi e continua sendo atacada. Isso não acabou. Somos sempre alvo de certos setores da sociedade incomodados com a perda de espaço e privilégios, como a Globo e o Vaticano. Há um claro preconceito por trás disso. Uma postura agressiva velada. Ou alguém duvida que a Globo só me ataca e ataca a Igreja Universal por causa da Record? Para eles, a Record é uma ameaça. Naquele tempo da minha prisão, por exemplo, houve um escândalo sem precedentes na televisão de que pouca gente lembra. A Globo teve a petulância de colocar, em uma cena de novela, uma atriz, prestes a ter relações sexuais, jogando o sutiã em cima da “Bíblia Sagrada”. Você tem ideia do que isso significa? Uma afronta ao símbolo maior da fé cristã. A “Bíblia” não é um livro sagrado apenas da Igreja Universal, mas de todos os cristãos. E o que aconteceu? Nada! Muita gente aplaudiu, achou bonito. Em outro país, essa emissora de tevê não passaria sem punição. E agora, vários anos depois, essa mesma emissora quer patrocinar eventos de música gospel? Dá para acreditar nas intenções dessa empresa? Estranho, não é?

ISTOÉ – A relação dos líderes católicos com a Universal mudou de lá para cá? E com o Judiciário?

Macedo – Não temos relação com esse segmento religioso (os católicos) porque eles ainda nos consideram como seita. Não temos nada contra o povo católico, em sua enorme maioria formada por gente sincera e de bem. Depois de 35 anos, apesar do trabalho social e espiritual desenvolvido pela Igreja Universal, ainda somos tratados com preconceito, mas vamos em frente, vamos arrebentar de qualquer maneira. Sempre foi assim. Sobre os membros do Judiciário, penso completamente diferente. Tenho uma avaliação extremamente positiva do nosso Judiciário. Confio muito no senso de justiça e independência da classe de magistrados do nosso país.

ISTOÉ – Como o sr. se relaciona com a presidenta Dilma Rousseff? E com os ex-presidentes Sarney, Collor, Fernando Henrique e Lula?

Macedo – Ao longo dos últimos anos tivemos alguns encontros com a presidenta Dilma, por quem tenho profundo respeito. O último encontro aconteceu em Londres, durante os Jogos Olímpicos. Procuramos mostrar a ela e aos demais ministros que a democracia nos meios de comunicação, principalmente na televisão, é o melhor caminho para o Brasil. Alertei a presidenta Dilma que o monopólio nas comunicações é um caminho perigoso para o País. Também tivemos algum relacionamento com os demais presidentes brasileiros e diversas autoridades de outros países. Mais isso vou detalhar no volume dois do meu livro de memórias.

ISTOÉ – O sr. é bem tratado pelos agentes do poder?

Macedo – Todos nos tratam com consideração pelo trabalho de recuperação social que a Igreja Universal realiza junto às mais variadas classes sociais. Quantos bilhões os governos economizam com o atendimento espiritual proporcionado pela Igreja Universal? Quando alguém vence uma crise crônica de depressão ou supera o vício das drogas, por exemplo, quanto o sistema de saúde público economiza? Imagine esse efeito multiplicado aos milhões.

ISTOÉ – Estudiosos das igrejas neopentecostais têm pesquisas mostrando que os fiéis costumam fazer um rodízio entre as inúmeras denominações. A Universal seria a preferida daqueles que passam por problemas financeiros. Isso é real?

Macedo – A Igreja Universal é um pronto-socorro espiritual. Ela recebe gente que sofre com os mais variados males, entre eles dificuldades financeiras. Isso me faz lembrar uma importante reflexão. Se tanta gente chega arruinada e é enganada e explorada por nós, como dizem por aí, por que elas permanecem na Igreja Universal? O que é enganado, se deixaria enganar uma única vez e não voltaria nunca mais. Mas por que existem tantos templos lotados no Brasil? Por que existem tantos membros fiéis com décadas de Igreja? Como explicar esse crescimento em todo o mundo, acima de culturas, raças e idiomas? Não é o cumprimento da promessa do bispo Macedo na vida delas. É o cumprimento dos juramentos bíblicos.

ISTOÉ – Sociólogos são unânimes ao explicar o sucesso da Igreja Universal pela máxima de que em seus cultos sustenta-se que a felicidade plena deve ser alcançada e conquistada na vida presente. Então, no seu entender, como seria a vida eterna, a vida pós-morte?

Macedo – Exatamente como a “Bíblia” ensina: salvação da alma para os que aceitam e praticam essa fé e condenação para os que não aceitam. Isso está escrito de maneira simples e objetiva. Acredita quem quer. O destino após a morte é definido pelas escolhas que o ser humano faz em vida. O céu e o inferno não são folclore. Aceitar o Senhor Jesus como seu Salvador é o único caminho da salvação eterna da alma. E essa é a maior riqueza de qualquer pessoa. Não existe bem maior do que a salvação da nossa alma.

ISTOÉ – A principal acusação que o levou à prisão foi a de charlatanismo, em razão de cultos em que havia exorcismo. Nos cultos realizados pelo padre Marcelo Rossi, por exemplo, também se diz que os dons do Espírito Santo são usados para a operação de milagres. O que o difere do padre Marcelo?

Macedo – Não tenho a mínima ideia do que acontece em outros lugares. O fato é que a Igreja Universal baseia sua crença cem por cento nos ensinamentos da Palavra de Deus. E na “Bíblia” existem exemplos claros e incontestáveis da manifestação da fé através da realização de curas e da libertação espiritual. Temos milhares de histórias reais de pessoas que experimentaram esses milagres e podem atestar, nos dias de hoje, a veracidade das promessas cristãs. Mas o maior milagre é a conquista da fé inteligente, capaz de gerar uma mudança radical de comportamento, a transformação completa de pensamentos e de valores.

ISTOÉ – No livro, o sr. sugere que as perseguições contra a Universal aumentaram depois da compra da Record.

Macedo – Como disse, o avanço da Record incomoda muita gente. Crescimento ainda maior da Record significa o fim do monopólio, dos mandos e desmandos de certos barões da mídia, de grupos religiosos conservadores contrários à prática da fé que ensina as pessoas a pensar livremente. São esses setores da sociedade que sempre nos atacaram. Muita gente me odeia sem ao menos me conhecer. Pessoas que nem sequer pararam para pensar mais a fundo sobre os princípios que defendemos. Eu só quero que elas pensem e não formem suas opiniões pelo que leem nos jornais ou veem na televisão. Eu sei que a tendência da maioria é ter uma opinião negativa sobre nós porque as pessoas sempre foram alimentadas pelas informações da mídia. Eu não as culpo. Desejo apenas que pensem. Só isso. Pensem.

ISTOÉ – O sr. interfere no dia a dia da Record? Tem conhecimento prévio do que vai ao ar?

Macedo – Existe um comitê de gestão formado pela presidência, vice-presidências e algumas diretorias estratégicas que tomam as decisões no dia a dia da Record. Eles se reportam a mim, de tempos em tempos. São profissionais competentes que têm feito um ótimo trabalho e em quem depositamos nossa confiança. Muitas vezes sou surpreendido por uma estreia ou outra no ar. É claro que também dou minhas opiniões e sugestões, mas são muito raras. Algumas são reprovadas (risos) e outras aprovadas, como a produção de minisséries bíblicas, a exemplo de “Rei Davi”. Foi uma inovação importante para a televisão brasileira. O trabalho foi belíssimo, alcançou um excelente resultado de audiência e atingiu diferentes tipos de público. A determinação geral é seguirmos firmes na construção de uma emissora de tevê com programação diversificada e de qualidade, voltada para todos os brasileiros.

ISTOÉ – Quais os seus planos para o futuro da emissora, já que o mercado das comunicações passa por grande transição?

Macedo – A Record tem um projeto de televisão em andamento. Não vivemos de um acerto pontual ou outro na programação. Construímos um departamento de jornalismo sólido e com credibilidade, uma fábrica de novelas própria com milhares de funcionários e um projeto comercial que conquistou a confiança dos anunciantes. O ano de 2013 será de grandes investimentos em nossa emissora. Nossa meta é a liderança, não importa o tempo que isso demore para acontecer. Nosso foco está bem definido. Vamos chegar lá. Vamos arrebentar.

Edir Macedo estaria decepcionado com o desempenho de audiência da Record

O Bispo Edir Macedo está decepcionado com o atual desempenho de audiência da Rede Record. Segundo informações do jornal Diário de São Paulo, o manda chuva acha que a emissora está gastando muito e com coisas erradas. Como se não bastasse, o SBT, que parecia um inimigo batido, voltou a incomodar e até ameçar a vice-liderança conquistada.

Macedo quer um controle rigoroso sobre os novos investimentos em programas de entretenimento, jornalísticos, novelas e aquisição de eventos.

Esse controle de gastos, aliás, não é uma exclusividade da Record. Entre as grandes TVs, a Rede Bandeirantes também adotou medidas bem parecidas.

O Planeta TV

BOMBA: Vídeo de Edir Macedo “exorcizando” homossexual ao vivo na TV gera polêmica na internet

Mais um episódio envolvendo o líder da Igreja Universal de Deus (IURD), Edir Macedo, está causando polêmica na internet. Em vídeo divulgado recentemente, o Bispo aparece empunhando um chicote e proferindo palavras de “cura” a um jovem que se diz homossexual. Nas cenas que se desenrolam ao longo de enlouquentes 14 minutos, Edir Macedo e outros religiosos tentam livrar o rapaz dos desejos que sente pelo vizinho.

Para ter êxito na empreeitada, os bispos iniciam o ritual de exorcismo. Na ocasião, sobram acusações e agressões verbais aos gays e aos líderes de religiões de matriz africana, que, naquela circunstância, são responsabilizados pela homossexualidade do jovem. “Queimando, queimando, desgraçado! Nós vamos arrebentar em nome de Jesus”, esbraveja Macedo enquanto tenta expulsar os demônios do rapaz.

No ato, Macedo aproveita e convoca também outros gays e lésbicas, que acompanham o programa através da transmissão o vivo da IURD TV, a se libertarem. “Vocês sabem que o problema [homossexualidade] tem origem no inferno, junte-se a nós, vamos fazer descer fogo. Nós fechamos o terreiro, toda essas pessoas vão se libertar e esse demônios estão impedidos de tocar nele, na família dele”, grita.

No final do vídeo, Edir, depois de muito condenar o comportamento dos gays, lésbicas e pais de santo, conclui que os demônios já não tem poder nenhum sobre o rapaz. “E aí? Você tá rindo porque agora você está falando grosso. Agora você tem que ficar firme com Jesus. Se junte com gente da fé e não com gente que fica meio lá, meio cá”.

Agradecido pela ‘libertação’, o rapaz, cujo nome não foi revelado na gravação, desabafa: “Eu tava com um peso. Agora deu uma mudança geral”.

IBahia/NTB

Edir Macedo rebate críticas da Revista Veja e reafirma confiança na Record


Bispo Edir Macedo, proprietário da Rede Record

O dono da Rede Record, o Bispo Edir Macedo, usou o “Domingo Espetacular” para esclarecer uma reportagem da Revista Veja, que publicou uma nota informando que a audiência da emissora vem caindo a cada mês e que seus funcionários estariam descontentes e com salários atrasados.

A reportagem do “Domingo Espetacular” reforçou que a Record é vice-líder em audiência e destacou os índices do “Fala Brasil” e o crescimento nas regiões Norte e Nordeste, principalmente na capital do Pará, Belém, onde a emissora tem seus melhores índices.

Macedo afirmou que nunca atrasou o salário de seus funcionários, o que foi confirmado por alguns durante a reportagem. Ele também desmentiu a saída de Honorilton Gonçalves, que ocupa cargo de confiança, e disse ter total confiança no trabalho dele.

Quanto à crise, ele garante que Record ainda vai muito longe:

“O futuro da Record é grande. Nós temos projeções enormes. Hoje ela está em segundo lugar, vai fazer os Jogos Olímpicos, vai fazer o Pan-Americano. Então você pode imaginar o que vai acontecer nos próximos anos”, gaba-se.

De acordo com a reportagem apresentada pelo programa, após a publicação de informação caluniosa e difamatória de que os funcionários da emissora entrariam em greve por atraso no pagamento dos salários, os advogados da Record estariam estudando entrar com ação criminal contra a revista nesta semana.

“Se nós estivéssemos em crise, você acha que responderíamos desta forma [publicamente] a essa revista?”, pergunta Macedo.

Com informaçôes do site O Planeta TV

Edir Macedo Dono da Record é acusado de lavagem de dinheiro!

Ministério Público Federal em São Paulo denunciou o bispo Edir Macedo e mais três dirigentes da Igreja Universal do Reino de Deus, acusados de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro arrecadado dos fiéis. De acordo com a investigação, o grupo teria utilizado os serviços de uma casa de câmbio de São Paulo para mandar recursos de forma ilegal para os Estados Unidos, entre 1999 e 2005.

Os frequentadores da Universal seriam, segundo a denúncia, vítimas de estelionato. Os denunciados são acusados de só declarar à Receita parte dos recursos arrecadados com doações.

Em 2009, o Ministério Público Estadual de São Paulo chegou a apresentar denúncia contra Macedo e oito dirigentes da Igreja por lavagem de dinheiro, mas o Tribunal de Justiça do estado anulou o processo, em outubro de 2010, porque entendeu que a investigação deveria ser remetida para a Justiça Federal.

A nova denúncia foi apresentada no dia 1 de setembro pelo procurador da República Sílvio Luís Martins de Oliveira e utiliza fatos que foram levantados pela investigação do Ministério Público Estadual. Para o procurador, os “pregadores valem-se da fé, do desespero ou da ambição dos fiéis para lhes venderem a ideia de que Deus e Jesus Cristo apenas olham pelos que contribuem financeiramente com a Igreja e que a contrapartida de propriedade espiritual ou econômica que buscam depende exclusivamente da quantidade de bens materiais que entregam”.

Depois de Justus, Record também tenta tirar autor do SBT

 

A rescisão do contrato do apresentador Roberto Justus com o SBT e sua volta à Record, pode ser só a primeira de uma nova onda de assédio desta emissora a seus ex-contratados. A Record também já sinalizou ao novelista Tiago Santiago que gostaria de tê-lo de volta –mas só se Silvio Santos abrir mão da multa de rescisão, como fez com Justus.

Procurado pela coluna, Santiago disse que pretende cumprir seu contrato com o SBT (2016). No momento, sua novela, “Amor e Revolução”, tem dados números decepcionantes no ibope, por vezes abaixo de 4 pontos.

Em mais de uma ocasião a novela sofreu interferência direta de Silvio Santos ou da direção do SBT, que, entre outras coisas, proibiu um beijo gay entre dois atores e exigiu que a novela parasse de falar em política.

A Record, por sua vez, tem torcido com fé no fracasso do projeto dramatúrgico de Silvio Santos para retomar artistas e profissionais técnicos.

Santiago, 48, assinou com o SBT em 2009, durante a primeira “guerra” entre a TV de Silvio Santos e a do bispo Edir Macedo. Naquele ano as duas empresas se engalfinharam na luta para tirar o maior número de profissionais da outra. Especula-se que a folha de pagamentos do SBT cresceu mais de 25% em apenas uma semana de “guerra”. A folha de pagamentos da Record, que já era gigantesca, só fez crescer. O caso teve lances de “maldade” dos dois lados.

Publicitário, empresário, cantor e showman, Justus, 56, ficou por dois anos no SBT, onde comandou programas como o “1 contra 100” e o “Topa ou Não Topa”. cujos horários sofreram várias mudanças.

Jornal Folha

 

Silas Malafaia critica Record por não noticiar evento religioso

Silas Malafaia critica Record por não noticiar evento religioso

Pastor Silas Malafaia em um evento religiosa da igreja dele

O clima esquentou nesta quinta-feira (02). Um grupo de líderes religiosos entregou ao presidente do Senado um abaixo-assinado com mais de um milhão de assinaturas contra o Projeto de Lei que aumenta a pena para quem discrimina homossexuais. O pastor Silas Malafaia, dono da Igreja Mundial, atuou como porta-voz do grupo.

Todas as emissoras noticiaram o fato, menos a Record que, coincidentemente, tem em seu dono o fundador de outra igreja, a Universal do Reino de Deus. Em seu polêmico “twitter”, Malafaia ironizou, dizendo: Parabéns a Rede Globo, Band, SBT, RedeTV, CNT e Rede Boas Novas, pela reportagem que fizeram do evento.

E para quem achava que o mesmo ficaria com idiretas, ele foi ao pote: “E a TV Record? Essa emissora comprada com o dinheiro do povo de Deus está mais a serviço da causa homossexual do que do Reino de Deus”.

Em outra mensagem, o pastor manda um recado para o dono da emissora da Barra Funda: “Que vergonha, Bispo Edir Macedo”.

%d blogueiros gostam disto: